Marco Cipriano

  • 130CV
  • *****
  • 2104
    +0/-0
Compensa?
15 de Março, 2003, 10:27:18
Á questão é será que compensa ter uma simples admissao directa?



Admissão: Troca do filtro de ar.
Provávelmente esta é a modificação mais difundida para ganho de desempenho. Para tirarmos isso a limpo, fizemos 3 medições: Filtro original, Filtro desportivo replaceble K&N e sem filtro de ar. Os resultados foram surpreendentes. Confira:

                        Filtro Original         Filtro K&N replaceble         Sem Filtro de ar.
0-100 km/h            12,4s                            12,7s                         12,8s
0-550 m                 21,3s                            21,6s                         21,8s

Marco Cipriano

  • 130CV
  • *****
  • 2104
    +0/-0
Compensa?
15 de Março, 2003, 11:04:47
Na minha opinião pode resultar é em baixas rotações porque em velocidade de ponta tira um pouco. Isto nunca admissao directa normal.

*

G_Buster

  • 115CV
  • ****
  • 791
    +0/-0
Compensa?
15 de Março, 2003, 11:51:51
Boas,

Não me parece q possa ser feita uma generalização desse tipo... esses dados foram obtidos por quem, em que situações, com que tipo de carro, com que género de aparelhos de medição...? Além disso, e pela forma como os dados são apresentados parece-me que o teste não foi levado a cabo com uma admissão directa, mas sim com um filtro de caixa.

Agora existem algumas "regras" básicas que convém respeitar quando se altera a admissão do carro: nunca usar um setup que leve o motor a aspirar ar quente e afinar devidamente o débito de combustível para compensar  o caudal de ar ligeiramente superior (através da alteração dos "jets" em carros de carburador, reset à centralina ou novo mapeamento nos carros com injecção electrónica, alteração do setup da bomba injectora em diesel de bomba mecânica...).

Na grande maioria dos carros actuais, e devido à corrida á insonorização é perfeitamente possível ir buscar mais uns Nm e uma melhoria de resposta ao acelerador alterando a admissão de origem.

Claro q existem sistemas de admissão q, por serem estudados à volta do conceito de ondas de pressão, favorecem o enchimento dos cilindros em determinada gama de rotações, o que permite ter um motor mais "cheio" num certo intervalo de RPMs (normalmente o mais usado numa condução quotidiana). Mas esse efeito acaba sempre por ser obtido à custa de uns qts cavalitos "lá em cima".

Na minha opinião, e atendendo ao meu gosto pessoal e às minhas expectativas relativamente a um carro, uma admissão directa bem montada acaba por trazer vantagens em 90% dos casos. No caso específico do meu carro, a diferença em baixos regimes foi notória... no entanto, conheço casos de carros que perdem um bocadito de baixas e ganham bastante em altas, outros que tiveram ganhos em todo o leque de regimes... portanto acho que cada caso deve ser analisado independentemente. E se cada 1 puder contribuir com a sua experiência pessoal, mais fácil será perceber o que é q rende em que carro.

1 abraço, fikem bem.

P.S.- Os meus parabéns a kem teve a paciência de ler esta treta até ao fim.

Gonçalo D.