A Ford revela métodos de fabrico que eram utilizados para criar armaduras

A Ford revela segredos da tecnologia que está a tornar os carros cada vez mais seguros. O primeiro processo totalmente autónomo, moderniza as técnicas antigas utilizadas pelos ferreiros, usando fornos, robôs e lasers para fabricar peças de automóveis.

Uma vez foi uma técnica que ajudou a proteger os cavaleiros de armadura dos golpes em diversas batalhas. Agora, a Ford está a aplicar uma versão tecnologicamente avançada do mesmo processo para ajudar a tornar os seus automóveis mais seguros do que nunca.

O primeiro processo de moldagem a quente totalmente automatizado molda e corta partes do automóvel, partes essas que são extremamente importantes para proteger os condutores e passageiros – usando fornos gigantes a 3.000ºC, robôs e lasers para corte.

“Estamos a construir sobre técnicas com milhares de anos usadas para fortalecer o aço, incorporando materiais modernos e automação para acelerar e refinar o processo de moldagem a quente. A célula de segurança de aço de boro resultante ajuda a tornar o novo Ford Focus um dos nossos veículos mais seguros de todos os tempos.”

Dale Wishnousky, vice-presidente de fabrico da Ford Europa

As peças de aço moldadas a quente são submetidas a temperaturas de até 930°C. Posteriormente é colocado por robôs numa prensa hidráulica com uma força de fecho de cerca de 1.150 toneladas e depois moldado e resfriado em apenas três segundos. O aço de boro é tão forte que neste ponto um feixe de laser mais quente que a lava de um vulcão é utilizado para cortar com precisão cada peça na sua forma final, pronto para dar forma e segurança a um novo automóvel Ford.